Voltar

NOTÍCIAS

19.10.2021 - Editado em 19.10.2021 - Compartilhar:
Projeto do PROADI-SUS estuda se a combinação de medicamentos para controle de pressão e colesterol reduz casos de AVC e demência

Um levantamento da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostrou que 13,5 milhões de pessoas sofrem um AVC todos os anos no mundo, e já somam 80 milhões aqueles que sobreviveram a um AVC. Enquanto 55 milhões convivem com demência atualmente. Em setembro deste ano, a OMS alertou que estes casos devem aumentar para 78 milhões em 2030 e 139 milhões em 2050. A agência internacional associa, ainda, a demência a uma série de doenças e lesões que afetam o cérebro, como doença de Alzheimer ou AVC, afetando a memória e outras funções cognitivas, bem como a capacidade de realizar tarefas diárias.

Sheila Martins, idealizadora do projeto e chefe do Serviço de Neurologia e Neurocirurgia do Hospital Moinhos de Vento, acrescenta que cerca de um em cada dez pacientes com um primeiro AVC já tem demência no início do evento e 30% terá demência após 1 ano. 

“Embora sejam consideradas as segundas causas de morte e de incapacidade mais comuns em todo o mundo, mais de 90% dos casos de AVC e 30% dos de demência podem ser prevenidos com controle dos fatores de risco cardiovasculares. O aumento do número destes casos em todos os países fornece evidências de que, atualmente, as estratégias primárias de prevenção, que incluem aquelas voltadas para a população de alto risco, não são suficientemente eficazes. Acreditamos que a prevenção é possível por meio de estratégias mais acessíveis implementadas na atenção básica e direcionadas à população de baixo a moderado risco cardiovascular, ressalta.

Sobre o projeto

Por meio do PROADI-SUS e em parceria com o Ministério da Saúde, o Hospital Moinhos de Vento iniciou um novo estudo de impacto internacional, o PROMOTE AVC. Com atuação inicial em oito unidades de saúde de Porto Alegre (RS) – em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde –, o projeto irá avaliar se o uso de uma polipílula com a combinação de medicamentos para controlar a pressão e o colesterol, isolada ou associada à modificação do estilo de vida, é capaz de reduzir o número de casos de Acidente Vascular Cerebral (AVC) e a taxa de demência em pessoas de 50 a 75 anos com baixo a moderado risco de doenças cardiovasculares. A segunda etapa envolverá 60 unidades de saúde do SUS espalhadas por todas as regiões do país.

Serão avaliados pacientes, considerados relativamente saudáveis, porém, que tenham pressão arterial sistólica limítrofe entre 120 e 139 mmHg e que tenham, pelo menos, um dos quatro fatores de risco comportamentais que aumentam as chances de desenvolver as doenças citadas, como excesso de peso, dieta desequilibrada, sedentarismo e uso do cigarro. De acordo com Brunna de Bem Jaeger Teló, neurologista cognitiva e líder operacional do projeto, os participantes serão divididos em grupos com diferentes estratégias de prevenção, como mudança no estilo de vida e monitoramento por meio do aplicativo Riscômetro, desenvolvido pela Universidade da Nova Zelândia; ou monitoramento pelo aplicativo associado ao uso da polipílula; apenas uso da polipílula; ou apenas a mudança no estilo de vida.

“Muitas dessas pessoas que têm demência, declínio cognitivo e AVC, poderiam ter evitado essas condições com mudanças em seu estilo de vida – o que será um dos nossos maiores desafios. Por isso, o projeto conta com uma ampla área de abrangência e foca na prevenção e em educar esses pacientes, visto que vamos explicar a eles sobre os riscos, causas e como evitar. Em relação aos impactos no SUS, além de possivelmente reduzir os casos de AVC,  vamos também avaliar o custo-efetividade para saber quanto economizamos ao atuar com medidas de prevenção”, afirma.

Iniciativa HEARTS

Em paralelo à execução do Projeto PROMOTE, ocorrerá a implementação da Iniciativa HEARTS, um programa assistencial da Organização Mundial de Saúde/Organização Panamericana de Saúde, aderido esse ano pelo Ministério da Saúde. O programa  visa a otimização da assistência primária à saúde para diminuir a incidência de doenças cardiovasculares, como Infarto Agudo do Miocárdio e AVC. Essa otimização se dará por meio da adaptação do sistema de saúde existente às melhores práticas segundo evidências clínicas e também da capacitação das equipes, desenvolvimento de fluxos de atendimento e tratamento dos pacientes.

Projeto do PROADI-SUS estuda se a combinação de medicamentos para controle de pressão e colesterol reduz casos de AVC e demência
Processando