Avaliação da eficácia da vacinação contra Influenza para redução de mortalidade e do ônus de doenças crônicas (Estudo VIP)
Hospital Israelita Albert Einstein

Avaliação da eficácia da vacinação contra Influenza para redução de mortalidade e do ônus de doenças crônicas (Estudo VIP)
Estudo VIP
2018-2020

Avaliação da eficácia da vacinação contra Influenza para redução de mortalidade e do ônus de doenças crônicas (Estudo VIP)
Resumo

Avaliar o potencial efeito da vacinação contra influenza na redução de eventos cardiovasculares em pacientes de alto risco cardiovascular. Dessa forma, é preciso considerar: 1) Qual o benefício da vacinação contra influenza em pacientes com doença aterotrombótica (doença coronariana e doença cerebrovascular e 2) Qual o benefício da vacinação contra influenza em dose elevada? O projeto VIP destina-se a responder esses questionamentos.

Esta iniciativa pioneira, de manejo da doença cardiovascular por meio de vacinação é o desafio do Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE) que propõe uma pesquisa, com a intenção de reforçar a importância da vacinação e potencializar as campanhas intensivas do Ministério da Saúde no sentio da imunização e seus benefícios adicionais.

Uma metanálise publicada em 2013, incluindo seis pequenos ensaios clínicos randomizados (ECR), avaliou os efeitos da vacina versus o placebo ou controle em pacientes com alto risco de doença cardiovascular, totalizando 6.735 pacientes (idade média de 67 anos, sendo 51,3% mulheres, 36,2% com história cardíaca, tendo o tempo médio de acompanhamento de 7,9 meses). Esse estudo demonstrou a associação da vacina contra a gripe a um menor risco de eventos cardiovasculares compostos tanto em paciente com síndrome coronariana aguda, como em pacientes com doença coronariana estável. Em outras palavras, este estudo sustenta a hipótese em reduzir eventos cardiovasculares por meio da vacinação com a vacina influenza.

O projeto VIP tem por objetivo avaliar o potencial efeito da vacinação contra influenza em pacientes durante fase hospitalar ou posterior, de uma síndrome coronária aguda (Infarto Agudo do Miocárdio), na redução de novos eventos cardiovasculares futuros.Para isso, é necessário elaborar um protocolo robusto de pesquisa, de maneira a responder as questões pertinentes, bem como construir uma rede capacitada à condução de ensaios clínicos de grande porte, em nível nacional, incluindo a totalidade da amostra de pacientes no presente triênio.

A metodologia utilizada nesse projeto é o ensaio clínico randomizado, em paralelo, multicêntrico, com avaliação cega de desfechos e análise por intenção de tratar.

O estudo conduzido pelo Academic Research Organization (ARO) do HIAE contará com hospitais brasileiros de grande porte, públicos ou privados, preferencialmente que atendam a rede pública e que prestem assistência aos pacientes em fase aguda de uma síndrome coronariana aguda. Serão incluídos pacientes com esse perfil, totalizando 9.200 pessoas ao longo de três anos.

Após a coleta de dados completa, assim como suas respectivas análises estatísticas apropriadas, os achados do estudo VIP serão apresentados  nas principais sessões de congressos (Late Breaking Clinical Trials Sessios, Hot Topics etc), bem como a publicação do artigo principal em periódicos de altíssimo impacto.



Introdução

Dentre os fatores de risco cardiovascular não tradicionais, há um especial interesse na potencial associação entre infecções do trato respiratório e eventos cardiovasculares subsequentes. Estudos observacionais e alguns ensaios clínicos randomizados de pequeno porte, avaliando especificamente a vacinação contra influenza em doses usuais versus placebo, demonstraram redução nos eventos cardiovasculares futuros. No entanto, há nesses estudos algumas discrepâncias em relação aos achados, e principalmente fragilidades metodológicas que limitam conclusões definitivas.
Elevar a dose de vacina proporciona maior soroconversão refletindo em uma maior eficácia na redução de infecções do trato respiratório e também em hospitalizações. Este aumento da proteção pode ser um fator preponderante a redução de internações e mortes por diferentes causas, em especial naqueles que possuem doença cardiovascular de base.

Caso demonstre real benefício, poderá ser também, uma futura ferramenta terapêutica adjuvante à terapia medicamentosa tradicional na prevenção de eventos cardiovasculares, a custos muito baixos utilizando toda a estrutura já existente no SUS. Além disso, os métodos e os achados do projeto VIP poderão ser implementados no SUS brevemente após sua conclusão, devido ao seu desenho metodológico pragmático.
O benefício de uma vacinação para prevenção de eventos cardiovasculares poderá elevar as taxas de imunização contra influenza no Brasil, bem como contribuir para um maior conhecimento da população sobre o uso das vacinas.

Nesse sentido, o projeto VIP irá avaliar se doses aumentadas de vacina para influenza na fase hospitalar, quando comparada à vacinação ambulatorial em dose usual, diminuem o risco de eventos cardiovasculares maiores (morte cardiovascular, IAM e AVC) em pacientes com síndrome coronariana aguda.



Métodos

DELINEAMENTO

Ensaio clínico randomizado, controlado, multicêntrico, aberto, de superioridade,, com grupos paralelos e alocação 1:1, com avaliação cega de desfechos clínicos e análise por intenção de tratar.

 

POPULAÇÃO E AMOSTRA

Hospitais: Serão incluídos no estudo hospitais brasileiros de grande porte, públicos ou privados (mas será dada preferencia aos Hospitais que atendam a rede publica e que prestem assistência ambulatorial a pacientes com alto risco cardiovascular).

Pacientes: Serão recrutados pacientes com síndrome coronariana aguda durante a fase de internação hospitalar.

 

ELEGIBILIDADE

Critérios de Inclusão

                        Homens e mulheres com idade > 18 anos;

                        Pacientes apresentando uma síndrome coronária aguda.

 

Critérios de Exclusão

                        Participação em outro ensaio clínico;

                        Recusa em fornecer consentimento para o estudo;

                        Hipersensibilidade ou anafilaxia a qualquer componente das vacinas;

                        Apresentação de Síndrome Guillain-Barré durante as três semanas após vacinação;

                        Já ter recebido a vacina contra influenza com as mesmas cepas utilizadas no estudo em período inferior a 12 meses da inclusão no estudo (compreende vacinas trivalentes ou tetravalentes com as mesmas cepas do estudo);

                        Gestantes;

                        Mulheres em fase de amamentação;

                        Apresentar SCA entre os meses de dezembro e fevereiro.

 

INTERVENÇÕES

Será comparada a vacinação influenza dose dupla (tetravalente) durante a fase de internação hospitalar após uma SCA versus dose padrão (tetravalente) após trinta dias da alta hospitalar.

               Desfecho Primário: Desfecho combinado de mortalidade por causas cardiovasculares, infarto do miocárdio e acidente vascular cerebral,

              Desfechos Secundários: Mortalidade total e componentes individuais dos desfechos primários.



Resultados

A intervenção pode ou não mostrar o benefício na redução de eventos cardiovasculares na população estudada. No entanto, as atividades pertinentes ao estudo, como por exemplo, a capacitação das equipes dos hospitais participantes promove disseminação local de práticas clínicas e cuidados atuando na melhoria contínua da qualidade assistencial aos pacientes alvos já que as equipes estarão mais atentas e cada vez mais experientes no cuidados a esses pacientes. Adicionalmente, esse estudo promove e a importância da vacinação e potencializa uma ação alvo de campanhas intensivas do Ministério da Saúde. É sabido também, que afora a prática clínica usual em si, a participação em ensaios clínicos promove um aperfeiçoamento contínuo das equipes participantes, que é refletido em melhores cuidados aos pacientes. Além da melhoria em práticas assistenciais, as equipes também estarão cada vez mais preparadas para a realização de pesquisas clínicas nas suas instituições, podendo também promover disseminação regional dessas práticas e perpetuação do conhecimento adquirido.

Portanto, a promoção de melhorias assistenciais e de práticas de pesquisas serão resultados das atividades pertinentes ao próprio projeto de pesquisa através da interação entre o centro coordenador e os centros participantes. Isso se dará através das atividades educativas durante os encontros de investigadores previstos no orçamento (onde serão desenvolvidas as atividades de treinamento), nas visitas de iniciação as quais potencializam o treinamento realizado no encontro de investigadores, e principalmente no decorrer do projeto (onde estaremos buscando os resultados em termos de inclusão, seguimento de pacientes).  Uma vez que os resultados científicos desse projeto forem divulgados ao final do estudo (em congressos de grande porte e publicações de alto impacto a intervenção proposta poderá ser incorporada amplamente).

Liderança
Dr. Otavio Berwanger - Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP - Lattes
Dr. Henrique A. Fonseca - Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP - Lattes

Equipe

Ronaldo Soares - Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP
Diogo Moia - Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP
Vanesa Mazon - Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP
Luciana Piano - Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP
Fernanda Cardoso - Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP
Kleber Castilho - Hospital Israelita Albert Einstein, São Paulo, SP



Colaboração

Instituto do Coração - HC FMUSP, São Paulo- SP, José Carlos Nicolau

Beneficência Portuguesa de São Paulo – BP, São Paulo-SP, Jose Armando Mangione

Hospital Santa Marcelina, São Paulo-SP, Jamil Cades

Hospital Municipal Dr Fernando Mauro Pires da Rocha, São Paulo-SP, Vinicius Garcia de Vitro

Instituto Dante Pazzanese, São Paulo – SP, Rui Fernando Ramos

Hospital Samaritano Paulista, São Paulo- SP, Pedro Gabriel Melo de Barros e Silva

UNIFESP - Hospital São Paulo, São Paulo – SP, Adriano Henrique Pereira Barbosa

Santa Casa de Misericórdia de Presidente Prudente, Presidente Prudente-SP, Carlos Eduardo C. Nunes Bosso

Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Marilia, Marilia-SP, Pedro Beraldo de Andrade

Hospital das Clinicas - Faculdade de Medicina de Marilia, Marilia-SP, Igor Ribeiro de Castro Bienert

Faculdade de Medicina de Botucatu - UNESP, Botucatu - SP, Marina Politi Okoshi

Instituto Sul Mineiro de Cardiologia, Poços de Caldas-MG, Frederico Toledo Campo Dall'Orto

Hospital Universitário Ciências Médicas, Belo Horizonte-MG, Bruno Ramos Nascimento

Hospital de Clinicas de Porto Alegre, Porto Alegre-RS, Carisi Anne Polanczyk

Instituto de Cardiologia do Rio Grande do Sul, Porto Alegre-RS, Alexandre Schaan de Quadros

Hospital São Lucas da PUC-RS, Porto Alegre-RS, Paulo Ricardo Avancini Caramori

Instituto de Pesquisa Medicas de Itajai, Itajaí-SC, Felipe Antonio Baldissera

Hospital Dona Helena, R. Blumenau, Joinville-SC, Bruno Francisco de Almeida Penha

Pronto Socorro Cardiológico de Pernambuco-PROCAPE, Recife-PE, Rodrigo Pinto Pedrosa

Hospital Agamenon Magalhães, Recife-PE, João Batista de Moura Xavier de Moraes Junior

Instituto de Cardiologia do Distrito Federal, Brasília-DF, Diego Martins de Mesquita

Hospital Universitário da Universidade Estadual de Londrina, Londrina-PR, Manoel Fernandes Canesin

Área Técnica

Coordenação de Gestão de Programas de Pesquisa - COPP
Coordenação Geral de Fomento à Pesquisa em Saúde - CGFPS
Departamento de Ciência e Tecnologia - DECIT
Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos - SCTIE



GALERIA DE FOTOS

CONHEÇA OUTROS PROJETOS
Processando