Desenvolvimento da Gestão de Programas de Residência e da Preceptoria no SUS
Hospital Sírio-Libanês

Desenvolvimento da Gestão de Programas de Residência e da Preceptoria no SUS
DGPSUS
2018-2020

Desenvolvimento da Gestão de Programas de Residência e da Preceptoria no SUS
Resumo
O projeto pretende colaborar para a mudança da realidade do cenário nacional da formação de todas as profissões da saúde, tanto no nível da graduação, como no da pós-graduação por meio da elaboração e implantação de intervenções que mudem a gestão de residência e a preceptoria de residentes e graduandos do país, para que possam se voltar para um cuidado integral à saúde das pessoas e à organização de um trabalho comprometido com a melhoria da qualidade de vida da comunidade onde atuam.
Em termos educacionais, o projeto integra dois cursos de pós-graduação: Aperfeiçoamento em Gestão de Programas de Residência em Saúde do SUS (GPRS) e Especialização em Educação na Saúde pra Preceptores no SUS (PSUS).
Basicamente, o projeto visa:
(a) apoiar a construção de projetos de intervenção, bem como sua implantação, visando à mudança das realidades regionais no que se refere à residência em saúde e preceptoria;
(b) capacitar profissionais de saúde do país para a gestão de programas de residência e de preceptoria e
(c) contribuir para a articulação entre a academia e os serviços de saúde de saúde do SUS.
O projeto – tendo como centro a participação dos profissionais de saúde que integram os cursos – segue a seguinte trajetória:
(a) capacitação para que os profissionais elaborem projetos de intervenções para obter mudanças relacionadas à residência e preceptoria nas diferentes regiões brasileiras;
(b) acompanhamento da implantação das intervenções nos diversos cenários nacionais e
(c) avaliação dos resultados das intervenções implantadas.
Metodologicamente o projeto se concentra no apoio à construção e implementação de intervenções que transformem os contextos reais, onde estão inseridos os participantes, ancoradas em iniciativas educacionais que as alimentam e as suportam. Os projetos de intervenção terão como ponto de partida seleção, pactuação e caracterização de um problema do contexto real do trabalho, dialogado com os macroproblemas/desafios, identificados para a construção de uma proposta de mudança.
O processo de seleção e priorização do problema até a definição e implementação das ações do plano de intervenção devem ocorrer em espaço institucional real e incluir o levantamento de dados em trabalho de campo e a validação do projeto com atores considerados relevantes.
O processo de ensino-aprendizagem das iniciativas educacionais está ancorado:
(i) nas teorias interacionistas da educação;
(ii) na metodologia científica;
(iii) na aprendizagem significativa;
(iv) na integração teoria-prática; e
(v) na dialogia.
Em termos de resultados, o projeto pretende formar:
(a) 150 gestores de programas de residência no SUS em todas as regiões brasileiras;
(b) 800 profissionais de saúde para atuarem na preceptoria de residentes e de graduandos em saúde e
(c) implantando, pelo menos, 80 projetos de intervenção voltados para a gestão de programas de residência e 45 para a preceptoria em saúde.
 
 


Introdução

O projeto pretende colaborar para a mudança da realidade do cenário nacional da formação de todas as profissões da saúde, tanto no nível da graduação, como no da pós-graduação através da elaboração e implantação de intervenções que mudem a gestão de residência e a preceptoria de residentes e graduandos do país.
A partir da análise do contexto e com base na experiência acumulada de anos do Hospital Sírio-Libanês, destaca-se a necessidade de articular a formação dos preceptores e gestores de programas médicos e das outras profissões em saúde. Assim, parte-se da necessidade de formar profissionais de saúde para que residentes e graduandos possam se voltar para um cuidado integral à saúde das pessoas e à organização de um trabalho voltado para a melhoria da qualidade de vida da comunidade onde atuam.
O projeto, em síntese, tem os seguintes objetivos: (a) apoiar a construção de projetos de intervenção visando a mudança das realidades regionais no que se refere à residência em saúde e preceptoria; (b) capacitar profissionais de saúde do país para a gestão de programas de residência e para a preceptoria e (c) contribuir para a articulação entre a academia e os serviços de saúde de saúde do SUS.

 



Métodos

O projeto se concentra no apoio à construção e implementação de intervenções que transformem os contextos reais, onde estão inseridos os participantes, ancoradas em iniciativas educacionais que as alimentam e as suportam.

No âmbito da transformação da realidade entende-se intervenção por “conjunto de meios (físicos, humanos, financeiros, simbólicos) organizados num contexto específico, em um dado momento para produzir bens ou serviços com o objetivo de modificar uma situação problemática”.

Os projetos de intervenção terão como ponto de partida seleção, pactuação e caracterização de um problema do contexto real do trabalho, dialogado com os macroproblemas/desafios, identificados para a construção de uma proposta de mudança.

O processo de seleção e priorização do problema até a definição e implementação das ações do plano de intervenção devem ocorrer em espaço institucional real e incluir o levantamento de dados em trabalho de campo e a validação do projeto com atores considerados relevantes. A pactuação com os atores reais, considerando-se o município no qual estão inseridos os participantes, visa promover o comprometimento de cada um com a superação do problema priorizado, ampliando a viabilidade do projeto de intervenção.

No campo educacional o projeto DGPSUS contempla dois Cursos de pós-graduação: (i) Aperfeiçoamento em Gestão de Programas de Residência em Saúde no SUS - GPRS e (ii) Especialização em Educação na Saúde para Preceptores no SUS - PSUS. Os cursos serão desenvolvidos, de maneira articulada, nos mesmos municípios selecionados pelas equipes da SGTES/MS, validados pelos parceiros CONASS e CONASEMS.
O processo de ensino-aprendizagem das iniciativas educacionais está ancorado: (i) nas teorias interacionistas da educação; (ii) na metodologia científica; (iii) na aprendizagem significativa; (iv) na integração teoria-prática; e (v) na dialogia.

Resultados

O Projeto DGPSUS visa contribuir para melhoria da atenção à saúde no SUS, visando à reorientação articulada dos modelos de atenção e de formação, no sentido da ampliação da qualidade, do acesso e da integralidade do cuidado em redes de atenção à saúde.

Pretende-se alcançar essa mudança através da construção de Projetos de Intervenção, pelos participantes das iniciativas educacionais, por meio da oferta de ferramentas pedagógicas/estratégicas, acompanhando o seu desenvolvimento, buscando a mudança da realidade; da capacitação profissionais de saúde para a construção e gestão de programas de residência em saúde, considerando os princípios do SUS, as diretrizes para a elaboração de currículos integrados e orientados por competência e as políticas públicas de formação pós graduada de profissionais de saúde; da capacitação de profissionais de saúde na abordagem construtivista da educação, com ênfase na facilitação de processos educacionais na saúde que utilizam metodologias ativas de ensino-aprendizagem, visando à educação permanente dos preceptores e a qualificação da preceptoria; do estimulo a valorização do exercício da preceptoria e da construção da identidade do preceptor como um facilitador de aprendizagem comprometido com a transformação da realidade; da articulação entre academia e serviços de saúde do SUS, visando à integração teoria-prática, considerando as diretrizes do Contrato Organizativo de Ação Pública Ensino-Saúde (COAPES).

Em termos de resultados imediatos, o projeto pretende: (a) a formação de 150 gestores de programas de residência no SUS em todas as regiões brasileiras; (b) formação de profissionais para a atenção ao idoso e seus planos de saúde e saúde; (c) implantação de, pelo menos, 80 projetos de trabalho voltados para a gestão de programas de residência e 15 para a preceptoria em saúde.



Liderança

Luiz Fernando Lima Reis http://lattes.cnpq.br/8296739883987900

Everton Soeiro - Hospital Sírio-Libanês - Lattes: http://lattes.cnpq.br/0512926084072811

José Maurício de Oliveira - Hospital Sírio-Libanês - Lattes: http://lattes.cnpq.br/5941324590706207

Romeu Gomes - Hospital Sírio-Libanês - Lattes: http://lattes.cnpq.br/6215183415501835

Aline Fernanda Pedrazzi Sobral Vieira - http://lattes.cnpq.br/2029159334571003





Equipe

Altair Massaro

Adriana Barbieri

Edson Malvezzi

Renata Elizabeth Lourenço Cabral

Roseli Ferreira da Silva

Vera Lúcia Garcia



Colaboração

Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS)

Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS)



Área Técnica
Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGETS) / Ministério da Saúde (MS).

INDICADORES

950
Profissionais
capacitados
CONHEÇA OUTROS PROJETOS
Processando