Estudo Epidemiológico sobre a Prevalência Nacional de Agentes Respiratórios em Crianças
Hospital Moinhos de Vento

Estudo Epidemiológico sobre a Prevalência Nacional de Agentes Respiratórios em Crianças
TB PED
2018-2020

Estudo Epidemiológico sobre a Prevalência Nacional de Agentes Respiratórios em Crianças
Resumo
As infecções do trato respiratório inferior são responsáveis por um número significativo de mortes de crianças menores de 5 anos no mundo. Doenças como pneumonias, vírus respiratórios e tuberculose são ligadas a altas taxas de morbidade na população infanto-juvenil. A tuberculose mundialmente é um grande problema de saúde pública e seu diagnóstico na infância é de difícil confirmação laboratorial.

Na população infanto-juvenil a tuberculose apresenta-se muitas vezes latente (ILTB), ou seja, com poucos sintomas, aumentando os riscos de progressão e transmissão da doença devido a retardo do diagnóstico. Nesse cenário, a busca ativa de crianças e adolescentes com tuberculose é uma das prioridades para a realização do diagnóstico, tratamento e controle da doença. No Brasil não há dados dessa população que estimem a prevalência da tuberculose, tanto na forma ativa e latente.

O estudo busca dados epidemiológicos e evidências para melhorias nas estratégias de rastreamento e intervenção precoce em casos de tuberculose. Além, disso realiza a avaliação do desempenho de testes diagnósticos, de escarro induzido e de biologia molecular, para embasamento dos critérios atuais do Ministério da Saúde.

O projeto tem como objetivo identificar a prevalência de tuberculose em pacientes com idade entre 1 e 15 anos hospitalizados com sinais e sintomas de infecção do trato respiratório inferior (ITRI). A partir da busca ativa de pacientes destes pacientes, o estudo também identifica os fatores de risco associados à tuberculose, avalia a acurácia de métodos diagnósticos, identifica patógenos associados a ITRI e produz materiais educativos.

O estudo é um coorte prospectivo realizado a partir da avaliação dos agentes etiológicos das crianças hospitalizadas por ITRI e crianças encaminhadas para investigação diagnóstica de tuberculose pulmonar em unidades de referência. São avaliados 1.118 pacientes hospitalizados e ambulatoriais, com idade de 12 meses a 15 anos de idade.

As informações coletadas pelo estudo correspondem dados do quadro clínico, histórico social e de saúde; ficha clínica; avaliação de radiografia de tórax; teste tuberculínico; e material para realização de testes diagnósticos de tuberculose e pneumonia.

O projeto também produz materiais educativos para profissionais de saúde da rede, orientando sobre as técnicas de coleta, preparo e análise do escarro induzido para identificação molecular rápida (Xpert ULTRA) e teste IGRA, e um mapa com imagens radiológicas de tuberculose ativa pediátricas diagnosticadas no estudo, para utilização pelos profissionais que atendem crianças e adolescentes no SUS.


Introdução
As infecções do trato respiratório inferior (ITRI) são responsáveis por um número significativo de mortes de crianças menores de 5 anos. Doenças como pneumonias, vírus respiratórios e tuberculose são ligadas a altas taxas de morbidade na população infanto-juvenil. A tuberculose mundialmente é um grande problema de saúde pública e o Brasil está entre os 30 países com maior incidência da doença. O diagnóstico dela na infância é de difícil confirmação laboratorial e nessa população a tuberculose apresenta-se muitas vezes em sua forma latente (ILTB), ou seja, com poucos sintomas, aumentando os riscos de progressão e transmissão da doença com o subdiagnóstico.

Nesse cenário, a busca ativa de crianças e adolescentes com tuberculose é uma das prioridades para a realização do diagnóstico, tratamento e controle da doença. No Brasil não há dados que estimem a prevalência da tuberculose, tanto na forma ativa e latente em crianças e adolescentes.

Além do impacto e morbidade da tuberculose nessa faixa etária, o projeto traz dados que permitem estimar a prevalência de casos de tuberculose ativa e latente em crianças hospitalizadas com ITRI, contribuindo com melhorias nas estratégias de rastreamento, diagnóstico e intervenção precoce da tuberculose, tanto nos casos latente, quanto na avaliação do desempenho do escarro induzido e realização de testes de biologia molecular para diagnóstico de tuberculose ativa.

O estudo também testa e busca evidência para revisar os critérios de diagnóstico atualmente propostos pelo Ministério da Saúde para detecção de tuberculose em crianças e adolescentes, por opções diagnósticas inovadoras e mais eficientes.
Além da identificação de prevalência de tuberculose, a partir da busca ativa de pacientes, o estudo identifica os fatores de risco associados à tuberculose, avalia a acurácia de métodos diagnósticos, identifica patógenos associados a ITRI e produz materiais educativos.


Métodos
O estudo de coorte prospectivo é realizado a partir da avaliação dos agentes etiológicos das crianças hospitalizadas por ITRI e crianças encaminhadas para investigação diagnóstica de tuberculose pulmonar em unidades de referência.

São combinadas duas coortes, hospitalizados e ambulatoriais, que contribuem para a estimativa de prevalência de tuberculose latente e ativa. A amostra calculada é de 1.118 indivíduos, com idades entre 12 meses e 15 anos de idade.

As informações coletadas pelo estudo correspondem dados do quadro clínico, histórico social e de saúde; ficha clínica; avaliação de radiografia de tórax; teste tuberculínico; e material para realização de testes diagnósticos de tuberculose e pneumonia.

O projeto também produz materiais educativos para profissionais de saúde da rede, orientando sobre as técnicas de coleta, preparo e análise do escarro induzido para identificação molecular rápida (Xpert ULTRA) e teste IGRA, e um mapa com imagens radiológicas de tuberculose ativa pediátricas diagnosticadas no estudo, para utilização pelos profissionais que atendem crianças e adolescentes no SUS.





Resultados
O projeto foi aprovado em 2019 e tem como principais etapas a elaboração de material técnico de apoio, a seleção dos hospitais participantes, a coleta e análise dos dados e a divulgação dos resultados.


Liderança


Equipe


Colaboração


Área Técnica


CONHEÇA OUTROS PROJETOS
Processando