Serviço de Apoio à Rede Municipal de São Paulo para Atendimento na Especialidade de Oftalmologia
Hospital Israelita Albert Einstein

Serviço de Apoio à Rede Municipal de São Paulo para Atendimento na Especialidade de Oftalmologia
Oftalmologia
2018-2020

Hospital Israelita Albert Einstein
Resumo
Intitulado “Projeto Visão 2020”, a proposta tem alinhamento com as diretrizes da Organização Mundial da Saúde (OMS), que têm a finalidade de erradicar, mundialmente, a cegueira curável até 2020. A demanda por atendimentos oftalmológicos no Brasil é um dos grandes desafios para o Sistema Único de Saúde (SUS). A expansão da pirâmide etária populacional e, consequentemente, o envelhecimento de pacientes atendidos pelo SUS apontam para uma defasagem, que exige mais agilidade e efetividade na resolução das patologias visuais, assim como diminuição dos custos. O projeto visa atendimento rápido e informatizado, nos níveis primário (procedimentos simples), secundário (média complexidade) e terciário (casos mais complexos), com geração imediata de indicadores de saúde.
Foram desenvolvidos meios de prevenção, promoção e recuperação da saúde visual, com possibilidade de ampliação para outras regiões brasileiras mediante uso da telemedicina. A assistência descentralizada à população de baixa renda foi beneficiada com suporte de centros estratégicos, para gerar mais atendimentos. A iniciativa implementou mais rapidez nos serviços nos níveis primário, secundário e terciário, devido à informatização dos processos, garantindo mais assertividade na condução dos tratamentos. As unidades envolvidas foram: UBSs Itaim Paulista, Jaçanã e Campo Limpo, em sincronia com o Centro Diagnóstico de Oftalmologia Vila Mariana.
O projeto disponibilizou, anualmente, mais de 5 mil vagas para consultas oftalmológicas especializadas e mais de 3 mil vagas para exames subsidiários oftalmológicos, além de dispor de 40 vagas de procedimentos cirúrgicos de alta complexidade. A ideia foi de aperfeiçoar a assistência oftalmológica no SUS, em São Paulo, com modelo reprodutível para outras regiões do Brasil, viabilizando a formação constante e instantânea de indicadores epidemiológicos regionais, integrados por meio de banco de dados. Esta iniciativa foi descontinuada em 31 de janeiro de 2018.
Os atendimentos foram realizados no Centro Oftalmológico (CDOF), da Vila Mariana, e nas (UBSs) Unidades Básicas de Saúde do município de São Paulo, das regiões do Jaçanã, Itaim Paulista e Campo Limpo. Todas as vagas foram reguladas por meio do Sistema de Informação à Gestão da Assistência (SIGA), com capacidade para a realização de exames de refração, acuidade visual, tonometria, mapeamento de retina e gonioscopia.
Estão envolvidos no projeto a Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo (SMS-SP), Unidade Básica de Saúde (UBS), SUS e seus pacientes com patologias visuais, além do Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE).


Introdução


Métodos


Resultados


Liderança


Equipe


Colaboração


Área Técnica


CONHEÇA OUTROS PROJETOS
Processando