Manuais de orientação alimentar para o cuidado da pessoa com fatores de risco cardiovasculares no contexto da Atenção Básica.
Hospital do Coração

Manuais de orientação alimentar para o cuidado da pessoa com fatores de risco cardiovasculares no contexto da Atenção Básica.
Manuais Alimentação Cardioprotetora
2018-2020

Manuais de orientação alimentar para o cuidado da pessoa com fatores de risco cardiovasculares no contexto da Atenção Básica.
Resumo
As doenças cardiovasculares são as principais causas de mortalidade no Brasil. O Manual da Alimentação Cardioprotetora possui orientação nutricional baseada em uma estratégia lúdica e está de acordo com as recomendações nutricionais preconizadas pelas diretrizes brasileiras de cardiologia, diabetes, hipertensão e dislipidemias.

Espera-se contribuir para o cumprimento das metas estabelecidas no Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não-Transmissíveis 2011-2022, em relação ao aumento do consumo de frutas e hortaliças e detenção/diminuição da obesidade, e subsidiar e incorporar a orientação alimentar para indivíduos com algum fator de risco cardiovascular na prática da equipe multiprofissional da Atenção Primária. A padronização de uma orientação alimentar, considerando as diferenças socioculturais de cada território, pode potencializar e facilitar sua realização na prática profissional.

O objetivo do projeto é promover a utilização da estratégia de orientação alimentar da Alimentação Cardioprotetora nos diferentes níveis de Atenção à Saúde.

A implementação dos materiais da Alimentação Cardioprotetora envolve três metodologias distintas:

1- Mapeamento das barreiras de implementação de guidelines através de revisão da literatura, a fim de embasar o protocolo de pesquisa de implementação, assegurando a superação de tais barreiras;
2- Estudo de implementação híbrido tipo II randomizado em cluster que visa avaliar a implementação do Manual da Alimentação Cardioprotetora possibilitando elaboração de um plano de implementação nacional.
3- Qualificação dos profissionais da saúde através de metodologias ativas de ensino em curso bimodal (atividades em encontros presenciais e em ambiente virtual de ensino e aprendizagem).

O projeto também conta com a conformação de uma Rede de Nutricionistas do SUS, com os objetivos de fortalecer a comunicação e promover o intercâmbio de conhecimentos técnicos e a troca de experiências entre os nutricionistas dos diferentes níveis de Atenção à Saúde participantes da Rede.

Foram impressos e distribuídos, para todas as coordenações estaduais de Alimentação e Nutrição, 40 mil manuais e 80 mil cartilhas da Alimentação Cardioprotetora, bem como disponibilizados os materiais online na biblioteca virtual do Ministério da Saúde. Em 2019 iniciou-se a conformação da Rede de Nutricionistas do SUS, na qual já foram alcançados 12 núcleos estaduais e capacitadas 794 nutricionistas, que realizaram 11 multiplicações. Almeja-se alcançar 15 núcleos estaduais em 2020. Previsto para fevereiro de 2020, o estudo de implementação híbrido tipo II randomizado em cluster objetiva capacitar profissionais de saúde e acompanhar 980 pacientes a fim de mapear os impactos da implementação da Alimentação Cardioprotetora em dois municípios brasileiros. O mapeamento das barreiras na implementação de guidelines foi concluído e serviu de subsídio para a elaboração da capacitação dos profissionais.

Introdução

As Doenças Cardiovasculares (DCV) são as principais causas de mortalidade no Brasil, além de gerarem um custo alto para o Sistema Único de Saúde (SUS), representando importante impacto na saúde pública.

O material “Alimentação Cardioprotetora: manual de orientações para profissionais de saúde da Atenção Básica” possui orientação nutricional baseada em uma estratégia lúdica de associação mnemônica de grupos alimentares às cores da bandeira do Brasil, e sua distribuição de macronutrientes por grupo alimentar está de acordo com as recomendações nutricionais preconizadas pelas diretrizes brasileiras de cardiologia, diabetes, hipertensão e dislipidemias.

Atualmente, mais da metade da população brasileira está com sobrepeso, quase 19% obesa, 7,6% com diabetes mellitus e 24,3% com hipertensão arterial. Esse cenário é preocupante pelos impactos que essas doenças crônicas causam, especialmente em relação aos custos e às implicações tanto na vida dos indivíduos quanto na produtividade. Assim, ações de alimentação e nutrição no SUS podem colaborar positivamente.

Nesse sentido, o Ministério da Saúde elaborou o Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas Não Transmissíveis 2011-2022 que aborda metas nacionais convergentes com as metas definidas pela Organização Mundial de Saúde (OMS), como a diminuição/detenção da obesidade e o aumento do consumo de frutas e hortaliças.

A padronização de uma orientação alimentar, considerando as diferenças socioculturais de cada território, através dos materiais da Alimentação Cardioprotetora, pode potencializar e facilitar o atingimento das metas estabelecidas no Plano, além de subsidiar, incorporar e padronizar a orientação alimentar de indivíduos com DCV e seus fatores de risco na prática da equipe multiprofissional da Atenção Básica.

O objetivo do projeto é promover a utilização da estratégia de orientação alimentar da Alimentação Cardioprotetora nos diferentes níveis de Atenção à Saúde.


Métodos

A implementação dos materiais da Alimentação Cardioprotetora envolve três metodologias distintas:

  1. Mapeamento das barreiras de implementação de guidelines através de revisão da literatura, a fim de embasar o protocolo de pesquisa de implementação, assegurando a superação de tais barreiras;
  2. Estudo de implementação dos materiais nos serviços de Atenção Básica. Ensaio clínico randomizado em cluster, com o objetivo de avaliar a orientação alimentar dos profissionais da saúde e parâmetros clínicos nos usuários orientados nos serviços de saúde da Atenção Básica;
  3. Qualificação dos profissionais da saúde através de metodologias ativas de ensino em curso bimodal (atividades em encontros presenciais e em ambiente virtual de ensino e aprendizagem).
O projeto também conta com a conformação de uma Rede de Nutricionistas do SUS, com os objetivos de fortalecer a comunicação em rede e de promover o intercâmbio de conhecimentos técnicos e a troca de experiências entre os profissionais nutricionistas dos diferentes níveis de Atenção à Saúde participantes da Rede.


Resultados
Foram impressas e distribuídas, para todas as coordenações estaduais de Alimentação e Nutrição, 40 mil unidades do material “Alimentação Cardioprotetora: manual de orientações para profissionais de saúde da Atenção Básica” e 80.000 unidades do material “Alimentação Cardioprotetora” cartilha direcionada para o usuário da Atenção Primária, bem como disponibilizados os materiais online na biblioteca virtual do Ministério da Saúde.
 Até 01/2020, um total de 12 núcleos estaduais foram conformados:
  • Acre – Rio Branco – 27/06/2019
  • Amapá – Macapá - 21/08/2019
  • Bahia – Salvador - 11/10/2019
  • Ceará – Cariri (11/09/2019) e Fortaleza (13/09/2019)
  • Distrito Federal – Brasília – 23/10/2019
  • Maranhão – São Luís – 01/10/2019
  • Mato Grosso do Sul – Campo Grande – 18/09/2019
  • Paraíba – João Pessoa – 03/12/2019
  • Rio de Janeiro – Rio de Janeiro – 05/12/2019
  • Rio Grande do Sul – Porto Alegre – 25/09/2019
  • Roraima – Boa Vista – 17/10/2019
  • Tocantins – Palmas – 28/08/2019
Um total de 794 nutricionistas foram capacitados, 11 multiplicações foram realizadas através da Rede de Nutricionistas do SUS. Almeja-se alcançar, no total, 15 núcleos estaduais em 2020.
Em fevereiro de 2020 será iniciado um estudo de implementação híbrido tipo II randomizado em cluster com proposta de capacitar profissionais de saúde e acompanhar 980 pacientes a fim de mapear os impactos da implementação da Alimentação Cardioprotetora em dois municípios brasileiros. O projeto espera como resultado a divulgação e padronização da orientação da Alimentação Cardioprotetora no contexto da Atenção Primária, impactando na mudança de hábitos alimentares e redução dos fatores de risco cardiovascular. O mapeamento das barreiras na implementação de guidelines foi concluído e serviu de subsídio para a elaboração da capacitação dos profissionais.


Liderança

Comitê diretivo:

Alexandre Biasi Cavalcanti - Associação Beneficente Síria - Hospital do Coração - HCor, São Paulo, SP, lattes.cnpq.br/5896571955216852


Aline Marcadenti de Oliveira - Associação Beneficente Síria - Hospital do Coração - HCor, São Paulo, SP, lattes.cnpq.br/1521273831217229


Angela Cristine Bersch Ferreira - Associação Beneficente Síria - Hospital do Coração - HCor, São Paulo, SP, lattes.cnpq.br/2106578666791138


Bernardete Weber - Associação Beneficente Síria - Hospital do Coração - HCor, São Paulo, SP, lattes.cnpq.br/0961819677749530


Enilda Maria de Sousa Lara - Associação Beneficente Síria - Hospital do Coração - HCor, São Paulo, SP, lattes.cnpq.br/5842018488738530


Fernando da Silva Faraco - Associação Beneficente Síria - Hospital do Coração - HCor, São Paulo, SP, lattes.cnpq.br/4643300840896953


Ligia Nasi Laranjeira - Associação Beneficente Síria - Hospital do Coração - HCor, São Paulo, SP, lattes.cnpq.br/1433691693139316


Lucas Petri Damiani - Associação Beneficente Síria - Hospital do Coração - HCor, São Paulo, SP, lattes.cnpq.br/8519500802203429

Equipe

Comitê executivo:

João Gabriel Sanchez Tavares da Silva – Hospital do Coração – São Paulo, SP. lattes.cnpq.br/8662207917557867


Luís Gustavo de Souza Mota - Associação Beneficente Síria - Hospital do Coração - HCor, São Paulo, SP, lattes.cnpq.br/8839194180727472


Raira Pagano - Associação Beneficente Síria - Hospital do Coração - HCor, São Paulo, SP, lattes.cnpq.br/9321211765303968

Colaboração

Material: “Alimentação Cardioprotetora: manual de orientações para profissionais de saúde da Atenção Básica”.


Ana Luisa Souza de Paiva Moura - Ministério da Saúde - Brasília, DF, lattes.cnpq.br/2137074430745012


Ana Maria Cavalcante de Lima - Ministério da Saúde - Brasília, DF, lattes.cnpq.br/4093543908171451


Camila Ragne Torreglosa - Associação Beneficente Síria - Hospital do Coração - HCor, São Paulo, SP, lattes.cnpq.br/7076210957090456


Gisele Ane Bortolini - Ministério da Saúde - Brasília, DF, lattes.cnpq.br/5345538374527151


Jacqueline Tereza da Silva - Associação Beneficente Síria - Hospital do Coração - HCor, São Paulo, SP, lattes.cnpq.br/9953107377449756


Juliana Elert Maia - Associação Beneficente Síria - Hospital do Coração - HCor, São Paulo, SP, lattes.cnpq.br/6499688242682103


Juliana Guedes Simões - Associação Beneficente Síria - Hospital do Coração - HCor, São Paulo, SP


Maria Fernanda Vischi D’Ottavio - Associação Beneficente Síria - Hospital do Coração - HCor, São Paulo, SP


Michele Lessa de Oliveira - Ministério da Saúde - Brasília-DF. lattes.cnpq.br/3080120083618026


Rosana Perim Costa - Associação Beneficente Síria - Hospital do Coração - HCor, São Paulo, SP, lattes.cnpq.br/6832464222386411

 

Barreiras de implementação de guidelines:

Jorge Otávio Maia Barreto, MSc, PhD - Fundação Oswaldo Cruz- Fiocruz, Brasília, DF, lattes.cnpq.br/6645888812991827

Área Técnica
Coordenação-Geral de Alimentação e Nutrição / Departamento de Atenção Básica / Secretaria de Atenção à Saúde / Ministério da Saúde (CGAN/DAB/SAS/MS)


INDICADORES

CONHEÇA OUTROS PROJETOS
Processando