Estudo epidemiológico sobre a prevalência Nacional de Infecção pelo HPV
Hospital Moinhos de Vento

Estudo epidemiológico sobre a prevalência Nacional de Infecção pelo HPV
HPV
2018-2020

Estudo epidemiológico sobre a prevalência Nacional de Infecção pelo HPV
Resumo
A infecção por HPV (papilomavírus humano) é associada ao desenvolvimento de vários tipos de câncer, como de colo uterino, pênis, vulva, canal anal e de cabeça e pescoço. Apesar da vacinação contra o HPV ser disponibilizada pelo SUS desde 2014, não há um monitoramento nacional pré e pós implantação do programa de vacinação. Além disso, como o HPV é o principal responsável pelo aumento do número de casos de câncer de cabeça e pescoço em vários países, ainda não se sabe a real magnitude do problema no Brasil e quais os tipos de HPV estão associados ao câncer.
O projeto tem como objetivo avaliar o impacto da infecção pelo HPV por meio de três estudos: POP-Brasil (avalia a prevalência de HPV nacionalmente, monitorando o impacto da vacinação), SMESH (avalia a prevalência de HPV em populações de alto risco) e STOP-HPV (avalia a associação de HPV e câncer de cabeça e pescoço).

O estudo POP-Brasil foi iniciado e desenvolvido no triênio 2015-2017. Trata-se de um estudo transversal multicêntrico, com indivíduos de 16 a 25 anos de idade e vida sexual ativa. O estudo engloba todas as capitais brasileiras e o Distrito Federal, com coleta de dados realizada em Unidades Básicas de Saúde, para avaliar a prevalência de HPV genital e oral e os tipos de vírus mais prevalentes.

Os indivíduos foram testados para HPV de alto risco (16, 18, 31, 33, 35, 39, 45, 51, 52, 56, 58, 59 e 68) e HPV de baixo risco (6, 11, 26, 40, 42, 53, 54, 55, 61, 62, 64, 66, 67, 69, 70, 71, 72, 73, 81, 82, 83, 84, IS39, e CP6198). O projeto tem continuidade no triênio 2018-2020, com o início de uma nova avaliação da prevalência de HPV em 1.500 indivíduos vacinados contra o vírus e a testagem das amostras orais coletadas previamente (que ainda não foram testadas).
O estudo SMESH é também um estudo transversal que avalia a prevalência de HPV e fatores associados, mas com foco em indivíduos com alto risco de infecção (parceiros de pacientes com câncer de orofaringe, profissionais do sexo e homens que fazem sexo com homens).
O estudo STOP-HPV investiga a associação entre infecção por HPV e câncer de cabeça e pescoço através da avaliação de 519 indivíduos com câncer de orofaringe, que são comparados com o mesmo número de indivíduos sem câncer.

Durante o triênio 2015-2017, mais de 150 profissionais de saúde foram capacitados para a coleta de dados. O estudo recrutou 8.628 participantes. Desse total, 6.388 foram incluídos no estudo, sendo 5.268 mulheres e 1.120 homens, com idade média de 21,6 anos. Os resultados principais do estudo POP-Brasil do triênio 2015-2017 estão em vias de publicação e assim que divulgados serão disponibilizados.

Os resultados do presente projeto contribuirão com o conhecimento epidemiológico necessário para fortalecer e direcionar as políticas de combate à infecção pelo HPV no Brasil, fortalecendo o controle do câncer de colo do útero, do câncer de cabeça e pescoço e as demais patologias associadas ao vírus.


Introdução
O HPV (papilomavírus humano) é a infecção sexualmente transmissível mais comum. Praticamente todas as pessoas sexualmente ativas terão contato com o vírus ao longo da vida. Entretanto, a infecção por HPV de alto risco é associada ao desenvolvimento de vários tipos de câncer como câncer de colo uterino, pênis, vulva, canal anal e de cabeça e pescoço. O câncer de colo de útero é o terceiro tumor mais comum na população feminina e a quarta causa de morte de mulheres por câncer. Adicionalmente, o número de casos de câncer de cabeça e pescoço associado ao HPV vem crescendo de forma alarmante. Nesse sentido, o presente projeto tem como objetivo avaliar o impacto da infecção pelo HPV por meio de três estudos: POP-Brasil (avalia a prevalência de HPV nacionalmente, monitorando o impacto da vacinação), SMESH (avalia a prevalência de HPV em populações de alto risco) e STOP-HPV (avalia a associação de HPV e câncer de cabeça e pescoço).


Métodos
O estudo POP-Brasil foi iniciado e desenvolvido no triênio 2015-2017. Trata-se de um estudo epidemiológico transversal multicêntrico, com amostra composta por 8.628 indivíduos, homens e mulheres, de 16 a 25 anos de idade e com vida sexual ativa. O estudo engloba todas as capitais brasileiras e o Distrito Federal, com coleta de dados de setembro de 2016 a dezembro de 2017, realizada em Unidades Básicas de Saúde selecionadas para o estudo e capacitadas para coleta de dados. Os participantes tiveram suas características sociodemográficas e de comportamento sexual avaliadas por meio de entrevistas.

A coleta de material biológico foi realizada em cérvix uterina, pênis e boca para posterior tipagem do HPV. Os indivíduos foram testados para HPV de alto risco
(16, 18, 31, 33, 35, 39, 45, 51, 52, 56, 58, 59 e 68) e HPV de baixo risco (6, 11, 26, 40, 42, 53, 54, 55, 61, 62, 64, 66, 67, 69, 70, 71, 72, 73, 81, 82, 83, 84, IS39, e CP6198). O projeto tem continuidade no triênio 2018-2020, com início de uma nova avaliação da prevalência de HPV (cerca de 1.500 indivíduos vacinados contra o vírus), permitindo assim avaliar o impacto da vacinação, e a testagem das amostras orais coletadas previamente (que ainda não foram testadas).

O estudo SMESH é também um estudo transversal que avalia a prevalência de HPV e fatores associados, mas focado em indivíduos de alto risco de infecção (parceiros de pacientes com câncer de orofaringe, profissionais do sexo e homens que fazem sexo com homens). Para este estudo serão recrutados participantes de todas as regiões do Brasil, utilizando metodologias específicas para populações de difícil acesso como Respondent Driven Sampling.

O estudo STOP-HPV investiga a associação entre infecção por HPV e câncer de cabeça e pescoço através de um estudo caso-controle no qual 519 indivíduos com câncer de orofaringe serão comparados com o mesmo número de indivíduos sem câncer de orofaringe. Nesse estudo é incluído ao menos um hospital de cada região do Brasil.


Resultados
Durante o triênio 2015-2017, mais de 150 profissionais de saúde de 119 Unidades Básicas de Saúde e um Centro de Testagem e Aconselhamento foram capacitados para a coleta de dados do Estudo POP-Brasil. O estudo recrutou 8.628 participantes nas 26 capitais brasileiras e Distrito Federal. Destes, 6.388 pacientes forneceram amostras válidas, sendo 5.268 mulheres e 1.120 homens, com idade média de 21,6 anos. Os participantes apresentaram características semelhantes à população brasileira: 55,5% pertenciam à classe C e 56,8% se autodeclararam pardos. No geral, a prevalência estimada de HPV genital foi maior de 50%. Dados adicionais do estudo podem ser encontrados nas publicações abaixo.

Publicação dos resultados preliminares do estudo POP-Brasil (acesse aqui)

Os resultados principais do estudo POP-Brasil do triênio 2015-2017 estão em vias de publicação e assim que divulgados serão disponibilizados aqui.
Outros artigos publicados pelo estudo POP-Brasil:
Human papillomavirus knowledge, beliefs, and behaviors: A questionnaire adaptation - Eur J Obstet Gynecol Reprod Biol, 2018
Sexual behavior across the transition to adulthood and sexually transmitted infections: Findings from the national survey of human papillomavirus prevalence (POP-Brazil) - Medicine, 2018

A nova fase do estudo POP-Brasil e os estudos SMESH e STOP-HPV estão em condução, ainda sem resultados disponíveis.


Liderança
Eliana Marcia Wendland - Hospital Moinhos de Vento, Porto Alegre

Equipe

Bruna Vieira Fernandes - Hospital Moinhos de Vento, Porto Alegre - Lattes
Camila Bonalume Dall' Aqua - Hospital Moinhos de Vento, Porto Alegre
Frederico Soares Falcetta - Hospital Moinhos de Vento, Porto Alegre
Isabel Cristina Bandeira da Silva - Hospital Moinhos de Vento, Porto Alegre
Juliana Comerlato – Hospital Moinhos de Vento, Porto Alegre
Marina Bessel – Hospital Moinhos de Vento, Porto Alegre
Natália Luiza Kops  – Hospital Moinhos de Vento, Porto Alegre
Silvia Pauli - Hospital Moinhos de Vento, Porto Alegre
Thais Baptista - Hospital Moinhos de Vento, Porto Alegre

Participaram anteriormente do projeto:

Antonella Jacobsen Kaul, Dérik Midon Martins, Glaucia Fragoso Hohenberger, Jaqueline D. C. Horvath, Juliana Caierão, Michele Novakowski Rocho, Natalia Trindade Cardoso



Colaboração

Centers for Disease Control and Prevention (CDC), Estados Unidos
Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), São Paulo, SP
Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), Porto Alegre, RS
Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS
Grupo Hospitalar Conceição (GHC) de Porto Alegre, Porto Alegre, RS


Secretarias Municipais envolvidas na coleta de dados:
- Secretaria de Saúde do Distrito Federal, DF
- Secretaria Municipal de Saúde de Aracaju, SE
- Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte, MG
- Secretaria Municipal de Saúde de Boa Vista, RR
- Secretaria Municipal de Saúde de Campo Grande, MS
- Secretaria Municipal de Saúde de Cuiabá, MT
- Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba, PR
- Secretaria Municipal de Saúde de Florianópolis, SC
- Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza, CE
- Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia, GO
- Secretaria Municipal de Saúde de João Pessoa, PB
- Secretaria Municipal de Saúde de Macapá, AP
- Secretaria Municipal de Saúde de Maceió, AL
- Secretaria Municipal de Saúde de Manaus, AM
- Secretaria Municipal de Saúde de Natal, RN
- Secretaria Municipal de Saúde de Palmas, TO
- Secretaria Municipal de Saúde de Porto Velho, RO
- Secretaria Municipal de Saúde de Recife, PE
- Secretaria Municipal de Saúde de Rio Branco, AC
- Secretaria Municipal de Saúde de Salvador, BA
- Secretaria Municipal de Saúde de São Luís, MA
- Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo, SP
- Secretaria Municipal de Saúde de Teresina, PI
- Secretaria Municipal de Saúde de Vitória, AE
- Secretaria Municipal de Saúde do Pará, PA
- Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, RJ



Área Técnica

Departamento de Vigilância Prevenção e Controle das IST, do HIV/Aids e das Hepatites Virais (DDAHV)
Programa Nacional de Imunizações (PNI)



INDICADORES

CONHEÇA OUTROS PROJETOS
Processando