Implantação da técnica de videolaparoscopia em procedimentos de gastroplastia nos hospitais nacionais com habilitação 0202 (unidade de assistência de alta complexidade ao paciente portador de obesidade grave) e 0203 (assistência de alta complexidade ao in
Hospital Alemão Oswaldo Cruz

Implantação da técnica de videolaparoscopia em procedimentos de gastroplastia nos hospitais nacionais com habilitação 0202 (unidade de assistência de alta complexidade ao paciente portador de obesidade grave) e 0203 (assistência de alta complexidade ao in
Bariátrica - Técnica Videolaparoscopia
2018-2020

Implantação da técnica de videolaparoscopia em procedimentos de gastroplastia nos hospitais nacionais com habilitação 0202 (unidade de assistência de alta complexidade ao paciente portador de obesidade grave) e 0203 (assistência de alta complexidade ao in
Resumo

Em 2017 passou a ser autorizada a cirurgia bariátrica por videolaparoscopia (VLP) pelo SUS. Nesta transição de cirurgia por via aberta para laparoscópica, o objetivo do projeto é de contribuir com o Ministério da Saúde (MS) em implantar ou aumentar a produção de cirurgias por VLP nos serviços indicados das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste do país a fim de fornecer acesso aos pacientes da fila de espera, atuar na capacitação de recursos humanos e no desenvolvimento de técnicas e operação de gestão em serviços de saúde. 
Tendo em vista que do total de 10.070 autorizações de internações hospitalares (AIH) aprovadas para cirurgia bariátrica no último ano, apenas 2,16% (218) foram por videolaparoscopia. Sendo assim a proposta surge para apoiar a necessidade do SUS em atualizar as equipes administrativas quanto ao lançamento do código atualizado nas autorizações de internações hospitalares, realizar o diagnóstico situacional dos serviços habilitados, assessorar os serviços indicados para a implantação ou aumento da prática de VLP em gastroplastia e atualização das equipes em cuidados multidisciplinares de assistência ao obeso com disseminação da prática do modelo assistencial e cirúrgico no HAOC.
Espera-se que com o projeto, hospitais habilitados evoluam com a prática de VLP trazendo benefícios ao paciente e à gestão  com alta hospitalar precoce, rotatividade de leitos, uso racional de recursos e que contribuam com a redução dos vazios assistenciais existentes no território nacional.     
Portanto as atividades macros do projeto são: a) situação diagnóstica dos 83 hospitais habilitados, b) visita de confirmação diagnóstica nos serviços indicados pelo MS, c) conteúdo de atualização teórica de acesso à distância para no mínimo 2.000 profissionais, d) atualização prática multiprofissional no modelo assistencial ao paciente bariátrico no HAOC para até 08 profissionais de cada serviço indicado, e) fase de implantação nos hospitais participantes, f) fase de validação nos hospitais participantes com total previsto de 250 cirurgias das filas de esperas nacionais.
 Este projeto atende necessidades (I) das secretarias municipais e estaduais de saúde, ao favorecer a eficiência na realização de procedimentos recém incorporados nos serviços de saúde; (II) gestores locais, uma vez que apoiarão em ações de regulação, de controle e monitoramento de procedimentos realizados e avaliação de qualidade em serviços de saúde; (III) dos hospitais habilitados, uma vez que a situação diagnóstica dos serviços e a atualização assegurara a incorporação da VLP na prática bariátrica; (IV) dos pacientes, equidade de acesso; e (V) da atenção básica, qualificação assistencial.
A presente intenção atende o Plano Nacional de Saúde (PNS) no eixo temático “Informação, Educação e Política de Comunicação do SUS” e na diretriz de Promover a produção e disseminação do conhecimento científico e tecnológico, de análises de situação de saúde e da inovação em saúde.



Introdução

A obesidade é considerada uma doença crônica e é fator de risco para agravos de outras doenças. É diagnosticada por índice de massa corpórea (IMC), obtido pelo peso dividido pela altura ao quadrado (kg/m2), de forma que são consideradas obesas as pessoas com IMC acima de 30 kg/m2 e obesos mórbidos acima de 40 kg/m2. No Brasil, mais da metade da população está inserida nesta categoria, a frequência é semelhante entre homens e mulheres e a prevalência duplica após os 25 anos. 
O tratamento da obesidade está inserido na Linha de Cuidado ao Paciente com Sobrepeso e Obesidade, com ações de promoção, prevenção e assistência à saúde, que é coordenada pelos serviços de atenção básica, articulada com os serviços especializados e de alta complexidade. As duas portarias que regem a assistência ao paciente está regulamentada por : 424/GM/MS, de 19 de março de 2013 e 425 GM/MS de 19 de março de 2013 disponíveis nos links http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2013/prt0424_19_03_2013.html e http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2013/prt0425_19_03_2013.html.
Pacientes que não apresentaram sucesso no companhamento convencional para perda de peso podem ter a indicação cirúrgica. A preferência pela abordagem laparoscópica em relação à laparotomia (via aberta) tem resultados que comprovam menor tempo de internação, de complicações, além de promover retorno mais rápido às atividades diárias e melhora da qualidade de vida.
No ano de 2017, a cirurgia bariátrica por videolaparoscopia passa a ser incorporada como procedimento atendido pela tabela SUS nos hospitais habilitados como Unidade de Assistência de Alta Complexidade ao Paciente Portador da Obesidade Grave e como Assistência de Alta Complexidade ao Indivíduo com Obesidade.

Neste contexto de transição da cirurgia de via aberta para a laparoscópica, o objetivo do projeto é de contribuir na redução de vazios assistenciais para esta técnica e também atuar na capacitação de profissionais que atuam na assistência bariátrica.  



Métodos
As atividades do projeto compreendem desde rastrear o diagnóstico situacional dos 74 hospitais nacionais com habilitação 0202 e 0203, assessorar até 25 serviços na implantação da prática de VLP em gastroplastia e assistência multiprofissional ao obeso a partir da atualização médica e multiprofissional com disseminação da prática do modelo assistencial e cirúrgico no HAOC, com subsequente supervisão técnica da equipe do HAOC com as equipes treinadas em SP nos respectivos territórios de origem nas fases de implantação e validação da execução da técnica cirúrgica e atendimento assistencial multiprofissional de cuidado ao paciente bariátrico com adaptação na realidade dos serviços. Concomitantemente aos temas da prática assistencialista, pretende-se fornecer suporte em ensino à distância (EAD) para atualizar a metodologia administrativa quanto ao lançamento do procedimento em AIH e então acompanhar a evolução da produção de gastroplastia VLP nos serviços com infraestrutura e com Linha de Cuidado do Sobrepeso e Obesidade.

Resultados
Para obter o diagnóstico situacional dos hospitais habilitados foi criado o formulário específico denominado "Lista de Verificação para a Prática de Gastroplastia por Videolaparoscopia" com base na Portaria 425 e em boas práticas de segurança ao paciente. O link abaixo foi encaminhado via ofício pelo Ministério da Saúde para todos os hospitais habilitados realizarem a auto-avaliação eletrônica.
https://docs.google.com/forms/d/1uXGY_61rk-UtaU4WIfsnyjm4Ew4BWQysRXg004OOtuc/viewform?edit_requested=true 

De 23 serviços habilitados indicados para participarem do projeto em caráter de assessoria técnica (visita diagnóstica, parte prática no HAOC, acompanhamento de processos para implantação e validação da prática), 17 serviços foram visitados pela equipe técnica do HAOC no período de 05/11/2018 a 31/01/2019. Dentre os achados 03 serviços habilitados para realização de cirurgia bariátrica estavam inativos até mesmo para cirurgia por via aberta, 06 realizavam cirurgia por videolaparoscopia desde a incorporação na tabela SUS mas o lançamento na AIH estava incorreto (repasse financeiro por via aberta), 11 serviços prestam atendimento de toda a  Linha de Cuidado dentro da estrutura hospitalar, ou seja, atendimentos que seriam da atenção básica e especializada estão nesta abrangência causando demandas que competem com a fila de espera cirúrgica e atraso no procedimento.
O Curso de Princípios de Cuidados Multidisciplinares em Cirurgia Bariátrica  está disponível para acesso nacional para os públicos adminsitrativos, médicos e multidisciplinar pelo link http://proadi.eadhaoc.org.br/course/index.php?categoryid=135 mediante inscrição e acesso à edição disponível no período. De novembro de 2018 a janeiro de 2019 foram realizadas 3 edições de 12 previstas ao longo do projeto. Segue status dos inscritos no EAD até dia 06/02/2019:
Total de inscritos: 458, sendo 23 administrativos (carga horária 2h), 98 médicos (carga horária 12h)e 337 multiprofissionais (carga horária 14h). 



Liderança
Ana Paula Marques de Pinho - Superintendente de Responsabilidade Social

Equipe
Nidia Cristina de Souza - Gerente de Projetos
Carolinne Ferreira Abrahão- Supervisora de Projetos
Isabelle Lauria Viel - Enfermeira
Lais Marques de Coelho - Enfermeira
Vanessa Palumbo de Carvalho - Assistente Social
Nayara Bongiovanni Pelosi - Administrativa

Colaboração
Dr. Ricardo Cohen
Dr. Ana Carolina Calmon da Costa Silva
Dr. Carlos Eduardo Pompílio
Dr. Fernando Quirino Pecky
Dr. Frederico Monteiro
Dr. José Carlos Pinheiro da Silveira Filho
Dr. Tarissa Petry
Enf. Regina Marcelina da Silva 
Enf. Cristina Mamedio Aboud
Ft. Hélio Nichioka
Nut. Camila Carvalho
Nut. Tarcila Beatriz Campos
Psic. Graça Camara

Área Técnica
Roberta Rehem de Azevedo
Diana Zaynette Torres de Oliveira Pereira 
Rejane Leite de Souza Soares

INDICADORES

459
Profissionais
capacitados
464
Profissionais envolvidos
com projetos de gestão
CONHEÇA OUTROS PROJETOS
Processando