Projeto Atitude: Estudo conduzido pelo Hospital Moinhos de Vento, via PROADI-SUS, irá mapear os cuidados da população gaúcha em relação às Infecções Sexualmente Transmissíveis

Projeto Atitude: Estudo conduzido pelo Hospital Moinhos de Vento, via PROADI-SUS, irá mapear os cuidados da população gaúcha em relação às Infecções Sexualmente Transmissíveis Projeto Atitude: Estudo conduzido pelo Hospital Moinhos de Vento, via PROADI-SUS, irá mapear os cuidados da população gaúcha em relação às Infecções Sexualmente Transmissíveis

O Rio Grande do Sul apresenta a maior taxa de mortalidade por Aids no país, segundo dados da Secretaria Estadual da Saúde de 2019. A cada 100 mil habitantes, são registrados nove óbitos, sendo que a média nacional é de 4,8 óbitos. Além de ter a maior taxa de infecção de HIV (Human Immunodeficiency Virus) em gestantes no país, com 9,5 casos para cada mil nascidos vivos, sendo 2,8 a média nacional.  

Por essa razão, o Hospital Moinhos de Vento, por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (PROADI-SUS), do Ministério da Saúde, conduz o projeto que visa mapear o comportamento, as práticas e os cuidados da população gaúcha em relação às Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST). O Projeto Atitude, como é denominado, irá recrutar voluntários pelas cidades do interior do Rio Grande do Sul, com visitas domiciliares, a fim de coletar dados para a pesquisa em parceria com a Secretaria Estadual da Saúde. Além disso, os participantes serão testados para HIV, sífilis e hepatite B e C.  

O objetivo do projeto é identificar os motivos pelos quais o Rio Grande do Sul é o pioneiro em casos de HIV, sífilis e outras ISTs no país. A perspectiva do estudo é entrevistar 8,2 mil pessoas, ao todo, a começar pelo sul do Estado. Segundo a epidemiologista Eliana Wendland, líder da iniciativa, “a estratégia é facilitar o acesso das pessoas aos testes sorológicos. Responder a essas entrevistas é fundamental para identificação de grupos de maior risco e para o desenvolvimento de estratégias de prevenção direcionadas a estas populações”. 

Os profissionais do projeto foram treinados e serão identificados com colete, crachá com foto e um QR Code para que as pessoas possam consultar os dados das equipes participantes da pesquisa. Para mais informações da iniciativa, acesse ao portal: https://hospitais.proadi-sus.org.br/projeto/htlv1 ou entre em contato pelos telefone (51) 9550-7420 e (51) 3537 8092.



Assine a Newsletter_