Resumo

O enfrentamento de um cenário grave, que evoluiu de forma exponencial no Brasil em consequência da COVID-19, colapsou o sistema de saúde já carente de insumos básicos necessários para assistência do paciente, evidenciando déficit na quantidade de leitos, em especial das Unidades de Terapia Intensiva (UTI), fornecimento de Equipamentos de Proteção Individual (EPI), bem como acesso e disponibilidade de exames para diagnóstico e tratamento. 

A partir deste cenário, demonstrado e acompanhado através dos Boletins Epidemiológicos Especiais, o Ministério da Saúde (MS) realizou grandes esforços a fim de elaborar melhorias assistenciais, apoiando não somente ações para a recuperação dos pacientes em fase aguda da COVID-19, como também para a reabilitação daqueles indivíduos em fase de sequelas. 

Além disso, também foram planejadas estratégias para auxiliar as instituições na retomada das atividades assistenciais, parcial e/ou totalmente suspensas devido ao direcionamento do cuidado exigido pelo atual cenário pandêmico. É importante ressaltar que as premissas da assistência integral contínua e interdisciplinar norteiam o projeto de apoio à retomada dos hospitais pós-covid-19, gerando assim impactos diretos na organização/otimização dos fluxos de atenção, sendo esperadas repercussões positivas na recuperação funcional dos pacientes, na taxa de ocupação de leitos e na alta segura. 


Introdução

O projeto Reabilitação na Síndrome do Pós Cuidados Intensivos, antes conhecido como Reab Pós-Covid-19, impacta diretamente na eficiência dos processos hospitalares do Sistema Único de Saúde (SUS), com reflexo na linha de cuidado, buscando uma excelência na qualidade assistencial e segurança do paciente, tendo como premissas:

  • Paciente no lugar certo (com critérios estabelecidos); 
  • Tempo certo de transferência/alta (avaliação dos critérios de internação em determinado setor);
  • Informações corretas (visando a continuidade de cuidados com a mesma qualidade).
  • A iniciativa contribui com o aprimoramento do recurso humano, com disseminação de conhecimento, capacitação e atualização de equipes. Também propõe estratégias de dimensionamento de leitos para unidade de cuidados prolongados, ações de apoio às equipes dos hospitais na definição dos protocolos, fluxos apropriados para alta segura, redução da permanência hospitalar, morbimortalidade e consequentemente custo, impactando diretamente no uso adequado dos recursos financeiros.

    Tem importante impacto na recuperação dos egressos de terapia intensiva e semi-intensiva, otimizando reabilitação, reduzindo incapacidade, reintegrando os pacientes com maior agilidade à sociedade.

    Além disso, o projeto auxilia no enfrentamento à pandemia de COVID 19, uma vez que atua em processos para otimizar o giro do leito dos pacientes graves e incrementa o poder de recuperação dos egressos graves, proporcionando maiores possibilidades de atendimento a novos enfermos. 


    Métodos

    A definição dos hospitais a serem beneficiados pelo projeto é realizada de acordo com os critérios para elegibilidade e com a aprovação do Ministério da Saúde, do Conselho Nacional de Secretários da Saúde (CONASS) e do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS), no início de cada ciclo de intervenção.

    As visitas presenciais aos hospitais são realizadas pelo time de consultores, totalizando até quatro pessoas, formado por especialistas e médicos, após realização prévia e à distância de diagnóstico inicial – Diagnóstico de Desempenho Operacional (DDO). O time faz de duas a três visitas por mês (variando de acordo com a necessidade de intervenção de cada hospital), devendo ficar dois dias presencialmente, quando em conjunto com os gestores e/ou colaboradores atuarão com intervenções em processo com base na metodologia ágil e gestão de projetos. 

    O contato prévio é facilitado com o focal point, profissional do hospital participante, nomeado como referência no projeto, para realizar a interlocução entre os times de consultores e do hospital. Outro método na dinamização é a visita remota, que tem por objetivo realizar reuniões com o focal point e/ou equipe, em vistas ao acompanhamento e consultoria, como monitoramento das ações e resultados quanto à metodologia aplicada. 

    Com atividades também à distância, o projeto disponibiliza visitas remotas e tutorias interdisciplinares com temas propostos pela equipe de especialistas do hospital, bem como treinamento técnico operacional e interventivo, promovendo interação entre consultores e equipe hospitalar, de maneira a melhorar a prática profissional no que tangem os objetivos do projeto e avaliação dos resultados e compartilhamento de experiências.

    A expectativa é trabalhar até 12 hospitais por ano (triênio 2021-2023), preferencialmente em estados diferentes, de forma a disseminar as ideias e possibilidades para a retomada pós-covid-19.  

     

     


    Equipe

    • Hospital Alemão Oswaldo Cruz

      Liderança

      Ana Paula Pinho - Diretora da Sustentabilidade e Responsabilidade Social

      Nidia Cristina de Souza - Gerente de Escritório de Projetos

      Simone Rodrigues Faria Carvalhaes - Coordenadora de Projetos

       


      Equipe

      Bruno Tavares - Médico infectologista/ Liderança Médica

      Daniela Laranja Gomes Rodrigues - Médica Neurologista

      Cláudia Rocha Gonçalves - Enfermeira

      Eliana Mara Brunharo Marchini - Analista de Projetos

      Fernanda de Freitas Paganoti - Analista de Ensino/ Fisioterapeuta

      Fernanda Moreira Leite - Enfermeira

      Ana Carolina Torres Antonio - Analista de ensino / Fisioterapeuta

      Wladimir Garcia Silva - Analista de Ensino/ Fisioterapeuta

      Angela Firmina de Souza - Especialista de Processos

      Ricardo Mendes de Matos - Assistente Administrativo


      Colaboração

      Área Técnica

      SAES - Secretaria de Atenção Especializada à Saúde

      DAHU – Departamento de Atenção Hospitalar Domiciliar e de Urgência

    • Hospital Sírio-Libanês

      Liderança

      Carina Tischler Pires - Gerente de projeto

      Maria Maria Perez Soares D Alessandro - Coordenadora Médica

      Simone Martins de Queiroz - Coordenadora de Projetos


      Equipe

      Adriana Sousa Giovannetti - Especialista em Gestão Hospitalar

      Brunno Cesar Batista Cocentino - Médico Consultor

      Camila Santos Almeida - Fonoaudiologa Consultora             

      Camila Cavaletti Orlando Martins - Assistente Social Consultora

      Carolina Leticia dos Santos Cruz - Enfermeira Consultora

      Isabella de Sousa Almeida - Especialista em Gestão Hospitalar

      Jeniffer Danielle Machado Dutra - Nutricionista Consultora

      Kaline Leandro Cruz - Especialista em Gestão Hospitalar                     

      Lirian Martiniuk Vieira Tudda - Especialista em Gestão Hospitalar

      Mara Rubia de Moura - Enfermeira Consultora

      Sherindan Ayessa Ferreira de Brito - Fisioterapeuta Consultora

      Thatiane Olivier Ticom - Médica Consultora


      Colaboração

      Área Técnica

      SAES - Secretaria de Atenção Especializada à Saúde

       


    Indicadores

    1110
    Quantidade de profissionais
    envolvidos em atividades de gestão
    2751
    Profissionais
    capacitados

    Instituições

    • Marília

      sociedade mae da divina providenciahosp n sra dos prazeres
    • São Paulo

      hospital sao jose
    • Londrina

      hospital universitario regional do norte do parana
      unidade de urgencia de teresina prof zenon rocha hut
    • Manaus

      hospital e pronto socorro da zona norte delphina aziz
    • Belo Horizonte

      hospital metropolitano odilon behrens hob
    • Salvador

      hospital do suburbio
    • Campo Grande

      hospital do cancer dr alfredo abrao
    • Chapecó

      hospital regional do oeste
    • Rio de Janeiro

      sms hospital municipal ronaldo gazolla ap 33
    • João Pessoa

      complexo de doencas infecto contagiosas clementino fraga
      servico de atencao domiciliar sad joao pessoa
      hospital municipal santa isabel
    • Porto Alegre

      hospital de clinicas
    • Belém

      hospital abelardo santos
      sesma
      santa casa de misericordia do para
    • Cuiabá

      hospital municipal de cuiaba e p s dr leony palma carvalho
    • Sobral

      hospital geral de palmas dr francisco ayres
    • Barreiras

      hospital municipal eurico dutra
      hospital do oeste
    • Cabo de Santo Agostinho

      programa melhor em casa cadht
      hospital dom helder camara
    • Foz do Iguaçu

      hospital municipal padre germano lauck
    • Aparecida de Goiânia

      sad servico de atencao domiciliar
    • Lages

      sad servico de atencao domiciliar
    • Joinville

      hospital municipal sao jose
    • Vila Velha

      hospital dr nilton de barros
      sad de vila velha
    • Americana

      hospital municipal dr waldemar tebaldi
      sad de americana
    • Ipatinga

      hospital municipal eliane martins
    • Petrópolis

      hospital santa teresa
      sad petropolis
    • Rio Verde

      hospital municipal de rio verde goias
      programa melhor em casa

    Conheça outros Projetos_