Resumo

Diante da escassez de recurso, alta taxa de letalidade por sepse e a superlotação dos leitos na rede pública de saúde, consideramos a necessidade de implementação de boas práticas, adequação de processos assistenciais e fortalecimento da gestão. Portanto, este pretende com sua continuidade utilizar todo o conhecimento e expertise acumulados ao longo desses anos, para ampliar suas ações em instituições públicas pelo país, corroborando para o desenvolvimento da gestão, melhoria de desfechos clínicos, qualificação profissional, otimização dos recursos e capacidade de atendimento oferecendo melhor qualidade aos serviços de saúde.

 

 


Introdução

O Projeto de Reestruturação de Hospitais Públicos – RHP é uma iniciativa de intervenção e de instrumentalização em gestão em saúde que desenvolve ações para fortalecer e fomentar melhorias nos processos assistenciais, administrativos e gerenciais dos hospitais do Sistema Único de Saúde (SUS). O enfoque está na avaliação e no monitoramento contínuo de processos, na redução de custos e no gerenciamento consciente de recursos humanos e materiais, contribuindo, consequentemente, para a padronização de rotina e a redução de riscos aos pacientes, aos familiares e trabalhadores do setor.

Dentre os impactos para o SUS destacam-se construções e ou aperfeiçoamento prático em:

Gestão de Indicadores de Processos e Resultados;

Reestruturação do Núcleo de Educação Permanente;

Capacitações nas modalidades a distância no ambiente virtual de aprendizagem (EAD): Curso de Diagnóstico e Elaboração de Plano de Incorporação de Equipamentos Médicos, Sepse e Choque Séptico, Parada Cardiorrespiratória (game);

Capacitações dos serviços em plataforma remota nos temas: FAHOSP, Qualidade e Segurança do Paciente, Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE), Responsabilização, Auditoria Interna, Ferramentas da Qualidade, Gestão por Indicadores, NIR e KANBAN;

Implantação do NIR conforme diretrizes do Manual do Ministério da Saúde;

Implantação e ou Reestruturação do setor de Engenharia Clínica;

Gestão da cadeia medicamentosa;

Núcleo de Segurança do Paciente;

Gerenciamento de Risco de acordo com a taxonomia da Organização Mundial de Saúde (OMS);

Protocolos e rotinas assistenciais padronizados;

Implantação ou reestruturação do sistema de classificação de riscos institucional;

Implantação ou reestruturação do protocolo de sepse; 

Implantação ou reestruturação do protocolo de deterioração clínica.

 


Métodos

Seleção Ciclo 1- Foco Linha de Cuidado do Paciente Cirúrgico

Resultados: 18 hospitais localizados em Mato Grosso do Sul – Campo Grande; Minas Gerais – Belo Horizonte e Montes Claros; Espírito Santo – Vila Velha, Vitória e Serra; Paraíba – Campina Grande, João Pessoa e Patos.

Avaliação Diagnóstica

Módulo de Planejamento

Visitas e Videoconferências de acompanhamento

Módulo de Implantação

Visitas e Videoconferências de acompanhamento

Módulo de Monitoramento

Visitas e Videoconferências de acompanhamento 

Avaliação Final

Convite de Expansão Ciclo 2- Pronto Socorro Adulto de Porta Aberta

Resultados: 11 hospitais localizados em Mato Grosso do Sul – Campo Grande; Minas Gerais – Montes Claros; Espírito Santo – Vila Velha, Vitória; Paraíba – Campina Grande, João Pessoa e Patos.

Avaliação Pronto Socorro

Módulo de Planejamento

Visitas e Videoconferências de acompanhamento

Módulo de Implantação

Visitas e Videoconferências de acompanhamento

Módulo de Monitoramento

Visitas e Videoconferências de acompanhamento 

Avaliação Final


Resultados

2021-2023

4.664 profissionais capacitados - 95% satisfação

566 pacientes desospitalizados - Fortalecimento NIR e articulação Programa Melhor em Casa 

17 estudos de Farmacoeconomia com valor estimado de otimização de recursos de R$ 2.530.600,00 (dois milhões, quinhentos e trinta mil e seiscentos reais) sendo 33% dos estudos em Farmácia Clínica (otimização de R$ 402. 072,59), 33% em controle de estoque (otimização de R$ 1.470.176,29) e 9% em controle do uso racional de antimicrobianos (otimização de R$ 658.426,43) 

Ciclo 1 - 18 meses

18 serviços distribuídos em 04 estados da federação - Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Paraíba

Média de evolução dos serviços participantes: 43% de melhorias nas áreas focos trabalhadas (centro cirúrgico, UTI, enfermaria, farmácia, engenharia clínica)

3.470 profissionais participantes nas videoconferências

439 participantes em eventos

202 visitas multidisciplinares 

360 pacientes desospitalizados pelo Programa Melhor em Casa

Apoio para a efetivação do Programa Melhor em Casa no estado do Espírito Santo

100% dos serviços com implantação e ou reestruturação do Núcleo de Segurança do Paciente - Portaria, Regimento, Plano, 06 Metas de Segurança do Paciente

100% dos serviços com implantação e ou reestruturação do Gerenciamento de Risco- Plano, Ficha de notificações, análises de eventos adversos e óbitos

100% dos serviços com implantação e ou reestruturação do Núclo Interno de Regulação- Portaria, Organograma, Regimento, Fluxo de Admissão e Alta, Articulação com Programa Melhor em Casa

84% dos serviços com implantação e ou reestruturação do Núcleo de Educação Permanente- Portaria, Regimento, Cronograma 

75% dos serviços com implantação e ou reestruturação da Farmácia Clínica na UTI- Plano, Ficha de notificações, análises de eventos adversos e óbitos

 

Ciclo 2- 12 meses

11 serviços distribuídos em 04 estados da federação - Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Paraíba

Média de evolução dos serviços participantes: 23% de melhorias na área foco trabalhada (pronto socorro porta aberta) e ampliação das melhorias do ciclo 1 

100% dos serviços com implantação e ou reestruturação do Núcleo de Segurança do Paciente - Portaria, Regimento, Plano, 06 Metas de Segurança do Paciente

100% dos serviços com implantação e ou reestruturação do Gerenciamento de Risco- Plano, Ficha de notificações, análises de eventos adversos e óbitos

72,7% de taxa de implantação dos documentos normativos e organizacionais do Núclo Interno de Regulação

82% dos processos implantados Núcleo de Educação Permanente- Programa de Integração, Indicadores de Treinamento, Levantamento das necessidades de treinamento (LNT), cronograma anual de treinamento 

91% dos serviços com controle de antimicrobianos com foco no Protocolo de Sepse, 82% implantação da cadeia medicamentosa, 100% de reestruturação do controle  de estoque e dispensação de medicamentos de urgência no Pronto Socorro

55% de implantação do plano do parque tecnológico

90% dos serviços com execução de manutenções preventivas e processos gestão de equipamentos implantados

 

 

 


Equipe

  • Hospital Alemão Oswaldo Cruz

    Liderança

    Ana Paula Neves Marques de Pinho - Diretora Executiva de Sustentabilidade e Responsabilidade Social Hospital Alemão Oswald Cruz Nídia Cristina Souza - Gerente de Projetos de Sustentabilidade e Responsabilidade Social Hospital Alemão Oswaldo Cruz Carolinne Ferreira Abrahão - Coordenador de Projetos de Sustentabilidade e Responsabilidade Social Hospital Alemão Oswaldo Cruz

     


    Equipe
    Ana Lucia Aquesta - Hospital Alemão Oswaldo Cruz. São Paulo, SP Andrea Francisco - Hospital Alemão Oswaldo Cruz. Sâo Paulo, SP Carolinne Ferreira Abrahão - Hospital Alemão Oswaldo Cruz. São Paulo, SP Cibele Cristina Lustre Paronetto - Hospital Alemão Oswaldo Cruz. São Paulo, SP Isabelle Lauria Viel - Hospital Alemão Oswaldo Cruz. São Paulo, SP Lais Marques Coelho e Silva - Hospital Alemão Oswaldo Cruz. São Paulo, SP Marcilene Jose da Silva - Hospital Alemão Oswaldo Cruz. São Paulo, SP Mariana de Sousa Lima - Hospital Alemão Oswaldo Cruz. São Paulo, SP  Patricia Santesso Laurino - Hospital Alemão Oswaldo Cruz. São Paulo, SP  Ricardo Mendes de Matos - Hospital Alemão Oswaldo Cruz. São Paulo, SP  Ricardo Reis Osoegawa - Hospital Alemão Oswaldo Cruz. São Paulo, SP Sara Regina A. Santos - Hospital Alemão Oswaldo Cruz. São Paulo, SP  Tatiana da Silva Francelino - Hospital Alemão Oswaldo Cruz. São Paulo, SP Tatiane Cifuentes - Hospital Alemão Oswaldo Cruz. São Paulo, SP
    Colaboração

     

     


    Área Técnica

    Coordenação Geral de Atenção Hospitalar e Domiciliar - CGAHD/MS

    Departamento de Atenção Hospitalar, Domiciliar e de Urgência  - DAHU/MS

    Secretaria de Atenção Especializada à Saúde - SAES/MS


Indicadores

6632
Quantidade de profissionais
envolvidos em atividades de gestão
2909
Profissionais
capacitados

Instituições

  • Vila Velha

    hospital antonio bezerra de farias
  • Belo Horizonte

    hospital joao xxiii
  • Montes Claros

    hospital aroldo tourinho
    hospital dilson godinho
    hospital universitario clemente de faria
    hospital das clinicas doutor mario ribeiro da silveira
  • João Pessoa

    complexo hospitalar de mangabeira gov tarcisio burity
    hospital universitario lauro wanderley
    hospital edson ramalho
    hospital municipal santa isabel
  • Salvador

    hospital santa isabel
  • Vitória

    hospital estadual de urgencia e emergencia
    hospital santa casa de vitoria
  • Serra

    hospital dorio silva
  • Campina Grande

    hospital regional de emerg trauma dom luiz gonzaga fernandes
  • Campo Grande

    hospital universitario maria aparecida pedrossian
    hospital regional de mato grosso do sul
    santa casa de campo grande
  • Patos

    complexo hospitalar dep janduhy carneiro
  • Boa Vista

    hospital da crianca santo antonio
  • Capistrano

    hospital e maternidade nossa senhora de nazare

Conheça outros Projetos_